Skip to content

Homem séquisse

26/05/2010
by

Se um dia você, mulher (ou homem, vai saber) desse de cara com um homem sarado, gostoso, cheiroso, bom de papo, e ele te desse bola você acharia que está sonhando? Cuidado…

Seu sonho pode virar um pesadelo quando você menos espera… Minha querida Miss Happy-Burn mandou uma coisa que, juro por deus-pai, se eu algum dia vir ao vivo acho que infato. ou caio no riso. O problema com aquele homem dos sonhos é que, por baixo dos panos ele poderia estar vestindo isso:

lindo

tesão

bonito

gostosão

neon e babados.. é tendencia.

ai uma sainha dessas lá em casa...

Sério, genteeeeeim, acho que morro de rir, meu pinto inexistente cai (pra sempre) e o coitado do homem que vestir isso vai ficar incapaz de ter uma ereção pra sempre! Caso sério (e permanente) que nem São Viagra  resolve. Nem rezando uma novena pra paróquia da Pfizer!

Aposto que isso foi mais uma invenção das Organizações Tabajara para controle de natalidade. Ou o Ministério da Saúde Português.

Mas tá. Se eles vendem, deve ter quem compre. Gostou? Ficou interessada(o)? Tem (muito) mais aqui.

capitalizando o “íntimo”

29/04/2010

amiga mulher,

você, que olha para aquela gaveta de cuecas do seu marido ou namorado e pensa que ele podia trocar tudo, porque não rola mais ver aquela zorba lá perdida,  ou não tá mais podendo com aquela ceroula de elástico cansado, ou acha que podia variar do tema branco ou preto…

NÓS TEMOS A SOLUÇÃO!

ou melhor, o carlos tem a grande ideia para capitalizar aquela roupa íntima que você não usa mais, sem precisar colaborar com a campanha do agasalho.

você pode escolher a modalidade que melhor satisfizer seus desejos. ele vende cuecas gozadas, mijadas e até – vejam só! – com freio de lambreta. (alguém se deu o trabalho de perguntar isso por comentário.)

mas ainda restou um mistério nos comentários não respondidos: “a ferramenta tem pele na cabeça ou é circunsizado com cirurgia?”

talvez tenha sido circuncidado à força. ou então seja judeu. mas sério que isso faz diferença pro fetiche de alguém cheirando cuecas de desconhecidos?

é nessas horas que vejo o quanto ainda sou judaico-cristã-ocidental.

Brilha muito o “copo descartavél”

23/04/2010

pra quem achou que eu desaprendi a escrever graças à bagunça reforma ortográfica, não, nada disso. o título deste post vem a propósito da maneira como foi postada essa pérola videoclíptica (como diria marcos mion) no youtube, que combina elementos fundamentais para quem quer brilhar muito, brilhar máx com seu vídeo caseiro.

isaías lima & dayane (a pobre da menina, além de escorneada, não tem nem direito a sobrenome) nos ensinam, com o vídeo de “copo descartavél”, que:

1) seu rancho sua casa e o boteco da esquina podem ser cenários formidáveis para você fazer merda despender sua energia criativa fazendo clipes com a sua tekpix câmera.

2) quem precisa aprender a contagem de sílabas e as regras clássicas de métrica e composição quando pode correr com as palavras para alcançar o tom do tecladinho?

3) nada exprime melhor sinceridade e reciprocidade numa relação entre amigas do que sentir realmente o que a outra sente. ainda mais se você estiver dentro da casa de sua amiga no momento em que ela flagra o namorado com outra. por isso, não economize na mãozinha no peito.

4) o brasil é o país número 1 em ideia ruim pra metáfora. apenas.

e com vocês, tendo em vista minhas indicações de dama e esperando outras, o famoso clipe.

(grata pela indicação de @DiegoBenevides, direto de fortaleza)

Mudamos!

23/04/2010

vamos ver se nos damos bem com esse wordpress….

“Brilha Muito” no clipe

22/04/2010
Nós sabemos, vocês estavam com saudades. Nós também.
Daí que nesse fim de semana feriado que passou nós fomos numa balada muderna e, inspirados por vários tipos humanos que vimos por lá, resolvemos criar uma tag nova no blog: a “Brilha Muito”.

Como o nome indica, essa tag vai se dedicadar a mostrar gente que brilha, que faz merda mais pelo Brasil…

Para a nossa estréia (porque essa que gente que brilha não nasce – ou inicia, começa-, estréia), uma volta dos mortos-vivos pérola da música brasileira!
Com vocês, Pepê e Neném – Imprevisível Demais:

direto do mural do ru da ufsc

04/03/2010
tags:
indo almoçar, deparo com dois daqueles espécimes publicitários populares que, por um pequeno detalhe que seja, impressionam.
o primeiro revela a preocupação do proprietário com as DORGAS MANO:

defina droga, por favor?

o segundo é o tipo de serviço de que toda dama como eu precisaria. afinal, para que serve um marido senão para jardinagem, pintura, consertos e fretes (ou viajens)?


em geral é uma coisa que me irrita profundamente.

(thanks to @rafaelomondini pela edição das imagens.)

free paris, reloaded

03/03/2010
não se trata de libertar a cidade de paris (ok, piada velha, faria sentido em… 1945?) nem de soltar a criatura da cadeia. trata-se do furor que se gerou pelo brasil graças ao fato de que a cervejaria devassa (agora pertencente ao grupo schincariol) resolveu chamar paris hilton para a campanha publicitária de sua nova cerveja, a devassa bem loira.
sim, o contrato foi milionário, e só possível justamente porque a devassa não é mais a cerveja que era antigamente. e não venham dizer o contrário, porque onde schincariol bota o dedo, boa coisa não resulta. vide o assassinato do dono da empresa, lá nos idos de 2003.
de lá pra cá, a coisa cresceu, a cerveja mudou de cara e de nome, chamou a ivete sangalo pra garota propaganda e agora tem comprado outras cervejarias pra ampliar mercado, o que não deve, certamente, agradar muito a ambev. meu pai tem o costume de agradecer a existência de cervejas baratas porque elas seguram o preço de antarctica, brahma, skol e afins, as quais, se tivessem monopólio, já estariam pelo menos no dobro do preço. não deixo de dar a ele alguma razão.
o fato é que censuraram a campanha da cerveja com paris. esta campanha:
e nem o povo da folha de são paulo (gilberto dimenstein e sérgio malbegier) conseguiu se entender a respeito. só se entenderam em uma coisa, no óbvio ululante: consumo excessivo de cerveja faz mal à saúde. de qualquer forma, vão fazer o que? abrir caça às bruxas, como estão fazendo com o cigarro? impossível, o truste é bem mais forte.
em qualquer porta de boteco há cartazes com fotos de mulheres bonitas segurando cervejas. para não falar em marcas baratas como “a outra” que fazem publicidades como “porque a outra é sempre mais gostosa”. de qualquer forma, estão ligando diretamente bebida e libido (hetero ou homo, whatever).
agora, uma ação pseudomoralista contra o “sexismo” na exibição das imagens femininas teria muito mais o que fazer do que censurar especificamente essa propaganda. quem se preocupa, por exemplo, como bem apontou malbegier, com a bunda da globeleza aparecendo todo dia e com a incitação sexual do carnaval? aí fica tudo normal?
é como acreditar, por outro lado, que assimilar imagem de jogador de futebol com cerveja é prometer corpo de jogador para quem bebe. as marcas se dão ao direito de usar imagens que apelem ao consumo (e publicidade não é isso?), sejam elas de mulheres, homens, crianças ou outros produtos. e ainda mais em se tratando do nome que a cerveja adota… que imagem melhor do que a de uma celebridade de sextape?
e enquanto ficam chorando pitangas, cerveja vende. porque com tanta desilusão como sofre um povo como o nosso, resta o que, senão beber?
por outro lado, me forço a discordar que paris seja a última mártir do lulismo. é franca tentativa de assimilar o problema com política partidária, quando a moção saiu de grupos de publicitários. potenciais consumidores de cerveja, eles também.
daqui a pouco acabam proibindo a publicidade de cerveja, como a de cigarro. ou proíbem beber na rua, como nos estados unidos.
quer saber? o bafafá teria sido bem menor se não tivessem importado a paris pra publicidade. bem assinalou o @vicmatos tempos atrás que o grupo schincariol teria até economizado se tivesse usado a paula burlamaqui (ex-garota-coscarque – e olha que não tachavam essa propaganda de apelativa nem de sexista) pra fazer a campanha.
bem, talvez ela tenha feito de graça.